Holanda

A minha experiência!

Depois das dúvidas relação aos meus óculos e a raça da nossa Pandorinha, uma das dúvidas mais frequentes nas minhas redes sociais está relacionada com a minha experiência de vida na Holanda. Como é viver aqui e como foi a minha adaptação. Se eu gosto ou não, quais foram as maiores dificuldades  e o que mais gosto… Para responder esses questionamentos decidi fazer um vídeo (breve, prometo!), assim fica mais descontraído:

Mais alguma pergunta? Deixa aqui nos comentários!

-x.o.x.o – Gothinha.

Anúncios

Depressão

FRESCURA NÃO É A MINHA DOENÇA, FRESCURA É A SUA IGNORÂNCIA!

Muitas pessoas não conseguem entender o que leva outra pessoa a se expor de tal forma e abrir com o mundo esse livro de páginas manchadas e histórias dolorosas.
Desde que compartilhei o meu drama de saúde no YouTube, diáriamente recebo comentários e e-mails, mensagens de pessoas que relatam suas lutas diárias contra a dor e o desespero.
Esse é um assunto delicado e que vai além de uma “simples” síndrome – como muitas pessoas ignorantes no assunto insistem em falar -.
O que me motivou a compartilhar com o mundo minhas doenças psicossomáticas foi entender que toda essa dor, vazio, desespero… NÃO É FRESCURA, É DOENÇA!

  • A palavra psicossomática é de origem grega. É uma junção de duas palavras gregas: psique (psico – alma) e soma (corpo). E, deste modo, uma doença psicossomática é aquela que não é exclusivamente somática, corporal, mas tem origem na psique, na alma. A ideia é simples: a psique inclui tudo o que não conseguimos localizar no corpo de uma maneira específica: nossas emoções, sentimentos, pensamentos.

Meu diagnostico é: síndrome do pânico, síndrome de personalidade, fobia social, depressão e ansiedade crônica, insonia, desconexão com sentimentos e outros.
Compreender que essa dor tem tratamento e que não somos fadados a sofrer a vida toda é o primeiro paço para encontrarmos a paz que almejamos.

Hoje faz sete meses desde que quebrei as correntes que me torturavam e consegui gritar por socorro.  Um caminho árduo e doloroso, mas que vale a pena!
Se eu comparar o meu eu de agora e de meses atrás: o progresso é notável e eu, a cada dia que passa, cada vez mais consigo me reencontrar.


Nos vídeos a seguir há mais detalhes dos meus sentimentos e do meu progresso


Para você que está perdido no meio dessa tempestade, mantenha a fé. Mesmo, quando o mundo parece estar contra você e que as pessoas ao seu redor não conseguem entender as doenças da alma. Frescura não é a sua doença, frescura é a ignorância daqueles que insistem em não compreender. Você não está só!

Você que não conhece dessa dor, agradeça todos os dias e tenha empatia por aqueles ao seu redor. A pior doença que pode nos atingir é a doença da alma.

– x.o.x.o – Gothinha